sexta-feira, 13 de junho de 2008

Desconhecido


Sabes, não consigo entender porque não te dás a conhecer por completo, porque não te entregas na totalidade?

Divides o teu espaço comigo, as tuas refeições,o teu tempo, a tua casa ,a tua cama, os teus desejos e no entanto sinto-te como se fosses um desconhecido...

Quando me vais dizer que me amas? Quando me vais olhar nos olhos sem medo de te dares por inteiro?

No meu silencio e sem que te o diga, fico magoada com a tua distância... conheço-te à tantos dias, tantos meses,vivemos tanto juntos e às vezes ès um completo desconhecido!

Queria te sentir todo meu,dizer sem medo que ès meu e que eu sou tua! Contigo reaprendi a amar mas contigo também tive de aprender a sofrer no silêncio,num silêncio profundo...

2 comentários:

Francis disse...

Porque é que se tem de entender tudo, porque não descobrir o outro devagar??
Porque não saborear a ausência, o crescer da saudade, o saber que o avolumar do querer, vai fazer com que o reencontro seja mais intenso?
Porquê querer viver tudo de uma vez? Eu costumo usar a analogia da galinha dos ovos de ouro, conheces a fábula?
Amas? então vive esse amor aos poucos, não mates a galinha.

Secreta Utopia disse...

Gostar [pouco ou muito] de alguém é fácil.

Amar é difícil.

Por isso, também é difícil dizer "amo-te", quando ainda não existem certezas.

No entanto, mesmo que a certeza de um sentimento seja real, por vezes, proferir "amo-te" continua a ser difícil.

É o medo de amar e o medo de se entregar por inteiro que, muitas vezes, impede as pessoas de olharem nos olhos a pessoa que amam e, com coragem, assumiram o seu sentimento, numa simples palavra: "Amo-te".

[Gostei do texto.]

=)